sexta-feira, 20 de março de 2015

Óleo Vendetta



Atendendo a pedidos de amigos e leitores, abro as comportas, ou deveria dizer "as compotas" desse veneno.

Em Stregoneria há dentre outros, um óleo feito artesanalmente conhecido como óleo da vingança, usado para devolver o mal para quem o fez. Trago hoje a fórmula original para compartilhar com nossos leitores.

Óleo Vendetta é produzido assim:

Numa vasilha de chumbo, você misturará óleo de motor já usado (bem preto, diesel é melhor), enxofre em pó, assafétida bem ralada, fel de galinha, raspas de ferrugem de sete pregos de ferro tirados de portas de igrejas, terra de cemitério colhida a meia noite, raspas de cadeado e raspas da chave dele, sangue de sapo em pó e Diavulillu (pequena pimenta vermelha italiana conhecida como peperoncino di cayenna). Essa mistura ficará na vasilha durante uma lunação inteira e depois poderá usar a qualquer tempo.

Você pode acrescentar qualquer outra pimenta forte e ardida, tipo a Trinidad Scorpion ou a pimenta fantasma da índia conhecida como bhut Jolokia, ou ainda outra como a pimenta preta para o caso de não ter nenhuma, mas aviso, não terá a mesma potência. 

Você vai misturar tudo usando uma luva num sábado de lua minguante, de preferência na hora de marte ou saturno e, em seguida poderá usar.

O sangue do sapo deverá ser colocado num vidro e posto para secar ao luar da lua negra. Depois você raspa com uma lâmina de gilete para colher o pó e acrescenta na mistura.

Esse óleo é usado para untar velas de dupla cor, feitas também por você numa quarta feira de lua crescente, essas velas duplas servem tradicionalmente para magia de reverso, caso esteja sendo “atacado” por bestas invisíveis a mando de alguém.

Exemplo:

Vela preta e branca. Geralmente é branca em cima e preta em baixo.

Você irá escrever de forma “espelhada” a inscrição “meu inimigo oculto” (otluco ogimini uem) na parte preta da vela e, na parte branca você escreverá o seu nome da maneira usual (sem ser espelhado). 

Se você souber quem foi o(a) mandatário(a) dos ataques, poderá escrever o nome do alvo diretamente na forma espelhada. Use alguns oráculos para checar e tirar as dúvidas se preferir. Use três oráculos diferentes para obter duas respostas que tem mais peso de afirmação. Caso obtenha três respostas afirmativas, não haverá dúvidas, mas enquanto a dúvida permanecer, melhor usar o termo “meu inimigo oculto”, para que não corra o risco de cometer nenhuma injustiça com alguém.

Em seguida faça a inversão do pavio, virando a vela de ponta cabeça de forma que faça um novo pavil em cima. Unte a parte preta com o Óleo Vendetta. O pó de zebra pode ser misturado em azeite se precisar substituir urgentemente o Óleo Vendetta até que você consiga o feitio de acordo com a fórmula dada.

A parte branca você untará com benjoim e coentro, pois é onde seu nome estará inscrito. É preciso lembrar que o coentro foi usado na idade média pela igreja católica como incenso de exorcismo e não foi a toa.

Você irá fixar essa vela em cima de um espelho virgem ou um que já tenha sido consagrado para este fim, vai acender com fósforo e fazer o seu pedido: “Que todo mal que me foi feito retorne para o meu inimigo oculto”. Ou poderá pronunciar o seu encantamento próprio, caso tenha um que sirva para direcionar a energia.

Ao final, você tomará um banho da cabeça aos pés, com o benjoim e o coentro.

Ah, os restos da vela queimada, ao final de tudo, vão para o lixo apropriado ou você poderá usar a cera para moldar o boneco que ficará "ad eternum" no congelador.

Lembre-se: Quem não tem inimigos fora de si mesmo, não tem com que se preocupar, portanto, fique tranquilo(a) porque os deuses sabem tudo.

Existem outras fórmulas também usadas para essa finalidade e eu particularmente prefiro quebrar a energia do dano sofrido sem devolução, pois há o risco de o "inimigo oculto" receber a energia de volta e interpretar isso como se você o estivesse atacando e isso pode virar um bate e volta sem fim, mas o mais importante é não se esquecer de que quem tem cú, não precisa e não carrega patuá.

Por fim, vale lembrar que todo "guia" tem seu preço. Para um exú se dá o dobro da mesa farta que o mandatário deu à ele. Isso é o suficiente para "inverter ou reverter" a ação. Mas para um feitiço de bruxaria feito pelas mãos de um(a) bruxo(a) não há "mesa farta" que reverta. 

Boa sorte!

Sett Ben Qayin








Postar um comentário