sexta-feira, 20 de março de 2015

Reflexões de uma Casta de Bruxas



Eu vou deixar aqui uns recortes da Revista The Cauldron (versão em língua portuguesa), com trechos de entrevistas dadas por Bruxos e Bruxas, sob a finalidade de revisitar a função ou desfunção de uma bandeira em bruxaria.

Eu não sou wiccan, mas conheço diversos "grooves" ligados ao tema, que deixam-se guiar por bandeiras de movimento "político" contra isso ou contra aquilo (do tipo feministas) e, por conta dessa bandeira, a bruxaria está sendo jogada fora porque para eles, ou você adere ao feminismo ou não pode ser bruxa.

Os temas são os mais diversos, desde feminismo até gardnerianismo....de qualquer forma essas coisas "castram" bruxos e os impedem de se reunirem ao largo da meia noite das bruxas. Isso é no mínimo Ridículo!

Bruxas e dogmas não combinam e sabemos que toda religião possui dogmas!

Bruxos ortodoxos tem se levantado para dar ordens à outros, isso é no mínimo Esdrúxulo!

Você deveria saber que a bruxaria é um caminho sem bandeiras. OU você deixa a bruxaria ser livre como é, ou você irá dar um movimento político do tipo "salvem as baleias" para a bruxaria e, isso é no mínimo LIMITAR a Arte e você cairá em descrédito.

Para se ter ideia de como nada disso pode guiar a bruxaria, é com o deus chifrudo (Witch father) que qualquer Bruxa faz o congresso, pois é ele A Morte (ou o senhor da Morte), assim como sua Consorte é a Vida (ou a senhora da Vida) e, como não há vida sem a morte.....


O Conceito monoteísta não cabe para todas as bruxas porque não existe certo ou errado em bruxaria, mas certamente existe dogma em qualquer religião e isso limita uma bruxa.


Veja bem, nada contra feministas, você pode ser feminista a vontade e até mesmo eu apoio muitas das iniciativas feministas. O que estou dizendo aqui é que a bruxaria não pode ser compreendida sob a ótica de um movimento, seja movimento feminista ou não. Bruxaria é bruxaria, simples assim. Bruxaria é arte sábia, não dá para limitá-la sob a pena de limitar a si mesma.

Para tanto, "castradoras" de homens não combinam com bruxaria e com nenhuma religião que contenha bruxaria, da mesma forma que religião e política não combinam. Assim pensou Janet Farrar ao afirmar seu entendimento para wiccanos sobre o prisma da igualdade.


De nada adianta uma bruxa "castrar" um homem e, depois correr aos pés do Homem deus, O Chifrudo e chorar as pitangas....


Mudanças são necessárias...mudanças...mudanças...saibamos esperar com paciência o momento de cada um...pois paciência anda em falta por ai, justamente porque a paciência é uma virtude que não nasceu com o ser humano, ela não foi dada por divindade alguma. A paciência é a virtude do ser humano, desde que é ele quem escolhe desenvolver e é nele que ela se desenvolve. Não adianta pedir para "deus" lhe dar paciência, pois no mínimo ele irá lançar você numa situação para que você desperte a virtude a partir da reflexão e da boa vontade.
Sabe aquele papo de manter o mesmo sorriso do primeiro dia....

Quem forçar, terá encontro com seus próprios chicotes...rs
(....e ainda dizem por ai que não há punição, que bruxas libertam...vivendo e vendo mestres levando chibatadas, quanta bobagem)...



Somar sempre, subtrair nunca! Porque conhecimento é o que você leva para lá depois do véu!






Postar um comentário